Sherry - First One

A HISTÓRIA DO SAL

        Jogar sal no próprio corpo antes de entrar em casa, logo ao retornar de um sepultamento, é um hábito que pode ser verificado mesmo nas famílias nikkeis que residem neste país. Este ritual tem por objetivo afastar de si o espírito do falecido e também purificar-se.
        O sal é também usado com freqüência nas casas comerciais, sendo colocado na área frontal da loja logo após a limpeza matinal. O fato de os lutadores de sumô espalharem sal na arena também tem o siginificado de purificar o local e a si próprio. O sal sempre foi indispensável nos cultos aos Deuses, assim como no cotidiano. Existe, inclusive, um ditado que diz que aqueles que desperdiçam sal tornar-se-ão cegos.
        Em qualquer país o sal é o símbolo de purificação e mistério. Significa também boas vindas e há várias outras conotações como amizade e bem querer. Nas sociedades antigas, o sal era tido como preciosidade, sendo utilizado nas cerimônias religiosas e, às vezes, até como moeda. Por ser um recurso natural de suma importância para as finanças do país, tanto no Oriente como no Ocidente, o sal sempre foi objeto de tributação e monopolização.
        A palavra "salário" tem como origem "salarium" do Latim, que significa sal. Na antiga Roma, os salários dos funcionários públicos e militares eram pagos com sal, assim como na antiga Grécia, praticava-se troca de escravos por sal. Com relação á extração de sal no Japão, o processo utilizado na antiguidade era o de banhar algas com água do mar e obter o sal secando no fogo.
        A partir das Eras Nara e Heian, o sal passou a ser produzido por salinas em várias regiões do país e, por estar a produção restrita a regiões da orla marítima, logo tornou-se objeto de comercialização, assim como ocorria com o arroz.         Na Era Edo, cada feudo incentivava as atividades das salinas para fomentar a indústria e as finanças, especialmente na região do mar interior de Seto. Na Era Meiji, as províncias ainda eram autosuficientes na sua produção, até que foi estabelecido o sistema de monopólio devido a entrada de sal importado, a preço inferior, no mercado. Até 1918 a produção de sal era tida como um meio de proporcionar receitas ao cofre público. Posteriormente, passa a ser priorizado o aspecto de interesse público, com medidas de estabilização do preço e proteção à indústria produtiva.
        Em 1972 todas as salinas foram fechadas devido a uma lei que objetivava a modernização do setor. A partir disso, o sal utilizado na cozinha passou a ser o cloreto de sódio com quase 100% de pureza. Em 1997 o monopólio chega ao fim, passando a ser autorizada a produção do sal natural extraído das águas do mar que, para alegria dos naturalistas, está resurgindo aos poucos em várias regiões litorâneas.
        O sal é indispensável à sobrevivência, pois sua função é a de infiltrar-se ao sangue para melhorar o metabolismo das células, por exemplo. Como o sal é eliminado através do suor e urina, cada adulto precisa consumir de 10 a15g diariamente.
Expressões :
Aona ni shio : Desanimado, triste.
Shio o tatsu : Deixar de consumir sal por um tempo para cumprir uma promessa.
Shio o fumu : Lançar-se ao mundo e conhecer as dificuldades .
Fonte: São Paulo Shimbun 24/08/2000

0 comentários:

Postar um comentário